Água da Namaacha Celebra as Festas na Casa Madre Maria Clara

A Água da Namaacha, propriedade da Sociedade de Águas de Moçambique (SAM), que também detém a marca Fonte Fresca, ofereceu um lanche e vários presentes às meninas órfãs residentes na Casa Madre Maria Clara, na paróquia de São José de Lhanguene.

Presenciamos momentos de grande alegria, com as meninas a receberem vários presentes, material escolar e a deliciarem-se com bolos e doces, que lhes proporcionaram um momento diferente.

O ambiente foi de festa e de amor, celebrando um período do ano em que o sentido de família está mais presente e a necessidade de ajuda ao próximo torna-se ainda mais sensível.

Algumas das meninas agraciadas pela Água da Namaacha, começaram por agradecer o gesto, referindo que a SAM é uma empresa que nunca se esquece delas.

Valorizaram muito os presentes, que consideraram de grande utilidade, e os doces, mas deram especial importância, aos cadernos e canetas que receberam, referindo que, assim, grande parte das suas preocupações no início do próximo ano lectivo já estão resolvidas.

A responsável máxima pelo orfanato, Irmã Maria Elisa Nassone, fez questão de expressar o seu agradecimento e reconhecimento à SAM, pelo apoio constante a esta obra social, referindo-se também a muitos outros apoios, de cariz social, prestados pela Água da Namaacha.

A Irmã Maria Elisa, salientou o carácter utilitário dos presentes, coisas que aliviam as necessidades quotidianas das meninas e o simbolismo da festa que encheu todas de grande alegria.

Por último, a Irmã Maria Elisa, de forma emocionada, louvou o gesto da Água da Namaacha de vir celebrar a Festa da Família com meninas que a não têm, ou que não podem contar com o seu apoio.

Em representação da SAM, Bárbara Matsinha, elogiou o trabalho feito pela Casa Madre Maria Clara, na formação de mulheres que irão colaborar de forma activa para o futuro de Moçambique, relembrando que a SAM tem nos seus quadros algumas meninas formadas nesta Casa. Bárbara Matsinha reforçou que esta instituição, bem como outras do mesmo género, podem continuar a contar com o apoio da Água da Namaacha de forma cada vez mais forte.

Água da Namaacha Oferece Centro de Saúde na comunidade de Germantine

A Sociedade Águas de Moçambique (SAM), proprietária da marca Água da Namaacha, construiu um Centro de Saúde na comunidade de Germantine, município da Namaacha, localidade onde se encontra a sua fábrica.

O Centro de Saúde, composto por vários gabinetes de atendimento, depósito farmacêutico, sanitários e sala de espera, para além de uma ampla varanda, inserido numa área murada e devidamente cuidada, era um sonho antigo dos residentes de Germantine, município da Namaacha, que agora o veem concretizado.

A entrega formal do Centro de Saúde foi feita por Manuel Elias Munguambe, Presidente do Conselho Municipal da Vila da Namaacha, que considerou esta obra uma referência para o município e um exemplo de compromisso para com o desenvolvimento local por parte da Água da Namaacha.

O Presidente Munguambe fazendo um breve histórico das obras sociais da Água da Namaacha no seu município, elogiou a empresa também ao nível da preocupação com a formação e valorização dos seus recursos humanos e das condições de trabalho que oferece aos seus funcionários.

Em representação da comunidade, a Senhora Carlota Singo, dando sinais visíveis de profunda alegria, saudou a Água da Namaacha que considera a grande embaixadora da vila no país e no mundo e esta obra que entende ser de uma dimensão única ao nível dos agentes privados.

O Director do Centro de Saúde, Dr. Fridon Gilberto Zava, considera a obra fundamental para a elevação dos níveis de bem-estar da comunidade, que agora já não precisa de se deslocar à vila sede para cuidados primários de saúde, referindo que este exemplo deveria proliferar em Moçambique, aproximando a saúde das comunidades, com grande benefícios para o país, no seu todo.

Em representação da SAM, Zacarias Neves, Director de Produção e natural da Namaacha, começou por agradecer à comunidade o seu empenho para que este objectivo comum fosse alcançado e ao município, na pessoa do Presidente Manuel Elias Munguambe, pela sensibilidade demonstrada na busca continuada de melhores condições de vida para os munícipes.

Referindo-se aos profissionais de saúde presentes, Zacarias Neves classificou-os como heróis que todos os dias se batem, com toda a abnegação, para que as moçambicanas e os moçambicanos tenham condições de saúde dignas, que permitam, enquanto pessoas saudáveis, darem o seu melhor contributo para o desenvolvimento do país.

Para Neves esta obra é mais um reforço do compromisso da Água da Namaacha com aquilo que é mais valioso para os cidadãos e para Moçambique.

Saúde, educação, desporto, cultura, são os pilares da nossa estratégia de responsabilidade social, estando certos que são absolutamente essenciais para que os desígnios nacionais sejam alcançados, concluiu Zacarias Neves.

Água da Namaacha Apoia Escola da Associação dos Deficientes Moçambicanos

A Água da Namaacha, a marca Premium da Sociedade de Águas de Moçambique, celebrou o início do ano lectivo de 2022, através de uma acção de responsabilidade social levada a cabo na Escola da Associação dos Deficientes Moçambicanos (ADEMO), localizada na Av. Milagre Mabote, nº 1002, em Maputo, na qual ofereceu kits escolares, Água da Namaacha Júnior e material didático sobre a necessidade de valorizar a água, às 287 crianças que frequentam a escola e à equipa de docentes.

Os kits oferecidos pela Água da Namaacha continham 5 cadernos e uma caneta, cada um, sendo que os cadernos revestiam-se de um carácter didático especial, visto conterem várias informações valiosas para o sucesso da aprendizagem dos alunos.

Foi um momento de grande felicidade para as crianças e de emoção para todos os presentes, pela constatação da diferença que estas acções fazem no quotidiano de instituições como esta.

Miguel Padrão, director de marketing da Água da Namaacha afirmou que a escolha desta escola para celebrar o início do ano lectivo, teve como pressuposto principal o facto de se tratar de uma instituição que trabalha com crianças com necessidades especiais, realizando uma obra notável na capacitação das meninas e dos meninos para que contribuam de forma relevante para o desenvolvimento do país.

Miguel Padrão deixou ainda um apelo a outras instituições do sector privado, para que se aproximem da escola e contribuam para o sucesso desta obra louvável.

A fundadora da Escola, Farida Gulamo, também ela portadora de deficiência, mostrou-se impressionada com a sensibilidade demonstrada pela Água da Namaacha para com este projecto que iniciou há mais de 20 anos.

Farida Gulamo, deixando vários agradecimentos à Água da Namaacha, lançou também o repto para que mais empresas sigam este exemplo e contribuam para o sucesso desta Escola e dos quase 300 alunos que a frequentam.

Farida Gulamo referiu que a Escola é frequentada por crianças vindas de vários pontos da região de Maputo, em virtude da falta de instituições similares em áreas mais periféricas, e apelou ao apoio, público e privado, para que o sonho desta comunidade escolar seja alcançado e que a instituição passe a ser uma Escola Inclusiva, frequentada por alunos com e sem necessidades especiais, o que representaria um enorme ganho para todos, em termos de aprendizagem e convívio. Por seu turno, a Directora da Escola, Alima Faride, falando em nome da comunidade escolar, mostrou-se emocionada e muito agradecia pelo gesto da Água da Namaacha, realçando a importância deste gesto para as meninas e os meninos com quem trabalha diariamente.

Água da Namaacha Leva Felicidade ao Orfanato Maria Clara

Felicidade Matusse, funcionária da empresa, regressou ao Orfanato onde foi criada para oferecer um Almoço de Natal e Prendas às Meninas internas na instituição.

Felicidade Matusse e Leopoldina Governo, são funcionárias da Água da Namaacha, órfãs, que foram criadas nesta instituição. Foram elas as responsáveis pela organização do almoço e escolha dos presentes, principalmente objectos de higiene pessoal, que as cerca de 80 meninas internas nesta instituição receberam.

Para Felicidade Matusse, foi um dia de grande emoção o regresso à casa onde cresceu e a oportunidade de ajudar a instituição que tanto a ajudou e tão importante foi para que ela conseguisse atingir os seus objectivos.

As meninas do Orfanato Maria Clara disseram: “hoje a Felicidade (Matusse) trouxe-nos muita felicidade!”

Felicidade Matusse considerou ainda que o seu exemplo, e o da sua colega Leopoldina, são uma mensagem de esperança para todas as meninas internas na instituição, que, tal como elas, poderão sonhar em chegar, com muito esforço e dedicação, a trabalhar numa empresa com a dimensão da Água da Namaacha.

Leopoldina Governo, notoriamente emocionada, agradeceu ao Orfanato Maria Clara a excelente formação, académica e humana, que lhe proporcionou e à Sociedade de Águas de Moçambique por a ter aceite nos seus quadros, realizando-a profissionalmente, e depois por tonar possível a realização de um sonho, que era apoiar a Casa onde se fez Mulher.

A responsável pela Casa Maria Clara, a Irmã Mariana, agradeceu à Água da Namaacha pelo apoio concedido, salientando que já não é a primeira vez que a SAM auxilia a sua instituição, e apelou a outras empresas que sigam este exemplo e se aproximem das instituições que trabalham com crianças desprotegidas de forma a minorarem as grandes dificuldades quotidianas que enfrentam.

Água da Namaacha Lança Edição Especial de Rótulos “Salvem-nos da Caça Furtiva”

A Sociedade de Águas de Moçambique (SAM), proprietária das marcas Água da Namaacha e Fonte Fresca, escolheu o Museu de História Natural de Maputo para apresentar a sua nova Edição Especial Limitada de Rótulos, desta feita dedicada ao combate à Caça Furtiva.

São nove rótulos diferentes, nas garrafas de 500 ml e de 1,5 L de Água da Namaacha, representativos de animais que se encontram ameaçados no nosso país, com uma mensagem muito forte para sensibilizar a opinião pública, nos seus mais variados níveis e sectores, sobre a importância e urgência de todos nós lutarmos para preservar esta riqueza única de Moçambique e da humanidade, que é a biodiversidade.

Mais uma vez, a Água da Namaacha assume-se como uma marca inovadora, investindo em projectos de extrema importância para os objectivos globais de desenvolvimento de Moçambique.

O responsável pelo marketing da SAM, Miguel Padrão, referiu que, com esta iniciativa, a Água da Namaacha pretende alertar a sociedade para a urgência de defender uma riqueza enorme que Moçambique tem e que deve ser bem aproveitada para usufruto dos cidadãos, quer através do privilégio de ver os animais no seu habitat natural, quer através da criação de emprego e riqueza que o turismo certamente trará.

Para além disso, o Dr. Padrão, considera que há também uma grande responsabilidade para com a humanidade, na preservação desta autêntica dádiva divina, que é a nossa biodiversidade.

Miguel Padrão deixou ainda, em nome da Sociedade de Águas de Moçambique, um profundo agradecimento às organizações e individualidades nacionais e estrangeiras que trabalham arduamente para que Moçambique se assuma como um caso de sucesso na conservação da vida selvagem.

Prof. Doutor Samuel Bila, consultor responsável técnico do projecto, elogiou a Água da Namaacha pela coragem de abraçar esta causa, que considera essencial para o desenvolvimento equilibrado de Moçambique.

O Prof. Doutor Bila teceu várias considerações em relação às nove espécies escolhidas para estarem presentes nos rótulos, entendendo que são algumas das mais emblemáticas e conhecidas, existindo muitas outras que também se encontram ameaçadas e são merecedoras de especial atenção.

Por seu turno, a anfitriã do evento, Directora do Museu de História Natural, Lucília Chuquela, dirigiu rasgados elogios à Água da Namaacha, que considera ter um mérito enorme por surgir a despertar consciências numa área tão sensível, quanto vital, como é a conservação da vida selvagem.

A Dra. Lucília Chuquela manifestou ainda a sua satisfação pelo facto do Museu de História Natural estar associado a esta iniciativa, o que considera prova de vitalidade e motivo de grande orgulho para a instituição.

Água da Namaacha Premiada com o European Quality Award

A Água da Namaacha, a marca premium da Sociedade de Águas de Moçambique, também detentora da marca Fonte Fresca foi premiada com o prestigiante European Quality Award (Prémio Europeu de Qualidade) instituído pela European Foundation for Quality Management.

A atribuição do prémio baseou-se nos seguintes critérios:

► Implementação de modernos sistemas de gestão da qualidade

► Operação, produção e eficiência de marketing / vantagens competitivas da empresa

► Certificados, licenças, patentes e especificações, regionais e internacionais

► Foco no cliente e nas opiniões positivas do cliente / nível de processo de produção ecologicamente correcto

► Competitividade e qualidade dos bens e serviços / actualização das gamas oferecidas

► Controlo de qualidade contínuo / atendimento aos requisitos dos sistemas internacionais de qualidade

► Participação activa em fóruns, feiras e exposições nacionais e internacionais de qualidade

► Nível profissional da equipa / reputação impecável nos negócios

A entrega do prémio European Quality Award ocorrerá no próximo dia 25 de Junho, em Oxford, Reino Unido.

Miguel Padrão, Director de Marketing da Sociedade de Águas de Moçambique (SAM), considerou que esta distinção reflecte os níveis de excelência atingidos pelas marcas da SAM, não só a Água da Namaacha, mas também a Fonte Fresca, e premeia a dedicação e brio profissional dos funcionários e a estratégia da empresa sempre focada na valorização humana e na vanguarda tecnológica. Miguel Padrão considera também que, numa fase em que se ensaia o relançamento da economia nacional, este tipo de galardão tem um sabor especial, visto que engrandece o nome de Moçambique ao nível internacional, especialmente sendo alcançado num país onde os critérios de qualidade são muito elevados, como é o caso do Reino Unido: “É especial, muito especial, que uma empresa nacional consiga alcançar este elevado reconhecimento internacional, vindo do continente europeu e em tempos de pandemia, tão difíceis que têm sido. A honra que recai sobre nós, atinge todo o Moçambique, enaltecendo as capacidades de homens e mulheres que tudo têm para vencer!”